História dos Bondes em São Carlos/SP

A empresa A Simões Vidros, com intuito de aumentar o acesso a informação de uma parte da história de São Carlos/SP e dos Bondes, faz este post, retransmitindo as informação encontradas no site http://www.tramz.com/br/sc/sc.html, conforme segue:

A cidade de São Carlos à 250 km a noroeste de São Paulo, na linha principal 1600 mm Espessura da Ferrovia Paulista de Araraquara. População era de 30.000 em 1910, e estimada em 2015 por cerca de 241.000. O padrão de rua geométrica mostrado em mapas é enganosa: a cidade é construída ao lado de uma colina e inclinações, às vezes íngreme, na direção da linha de rios e da estrada de ferro no vale.
Electricidade chegou em 1890 e uma pequena linha horsecar abriu em 1895, mas foi fechado no ano seguinte por uma epidemia de febre amarela. A Companhia Paulista de Eletricidade assinou um contrato em 16 de junho 1912 para construir um bonde elétrico e ordenou seis automóveis de passageiros de 7 de bancada e quatro vagões motorizados do Société Franco-Belge em La Croyère, Bélgica.

sc01

Uma fotografia tirada em 1913, em La Croyère, na Bélgica, de um dos seis bondes de passageiros que Société Franco-Belge construídos naquele ano para São Carlos, Brasil.

 

Inauguração do bonde elétrico São Carlos, em frente à estação ferroviária Paulista, no domingo, 27 de dezembro de 1914 [ver mapa]. Todos os seis carros da frota são mostrados neste modo de exibição. As iniciais "CPE" da Companhia Paulista de Eletricidade são visíveis em alguns.

Inauguração do bonde elétrico São Carlos, em frente à estação ferroviária Paulista, no domingo, 27 de dezembro de 1914. Todos os seis carros da frota são mostrados neste modo de exibição. As iniciais “CPE” da Companhia Paulista de Eletricidade são visíveis em alguns.

    As três rotas do bonde em São Carlos foram identificados por números de rota: 1 – Cemitério / Estação, 2 – Ginásio / Santa Casa, 3 – Vila Nery / Estação [ver mapa]. Não era uma prática incomum no extremo oeste da Rota 2. Em uma passagem de nível com a Estrada de Ferro Paulista eletrificada, o fio de bonde parou. O condutor baixou o coletor de arco, ligado um cabo entre a extremidade do fio e a proa do bonde, e orientado o carro do outro lado da linha férrea. Por outro lado, onde o fio do trole retomada, o coletor de arco foi substituída e o bonde continuou em seu caminho.

A postcard view from about 1920 of Rua Conde do Pinhal at its intersection with Rua 9 de Julho [see map]. A tram has climbed the steep hill and is turning south toward the railroad station.

A opinião do cartão de cerca de 1.920 da Rua Conde do Pinhal, na sua intersecção com a Rua 9 de Julho. Um bonde subiu a colina íngreme e está transformando o sul em direção à estação ferroviária.

A foto do carro 15 sobre 1930. qualidade fotográfica é pobre, mas a vista é incluído porque este bonde de passageiros era uma reconstrução de um carro de frete.

A foto do carro 15 sobre 1930. qualidade fotográfica é pobre, mas a vista é incluído porque este bonde de passageiros era uma reconstrução de um carro de frete.

Na década de 1930 CPE reconstruída dois vagões de carga em veículos de passageiros e construído um carro fechado fora de um carro de 9 bancada aberta que comprou do tramway abandonado em Piraju. O relatório IBGE para 1945 mostra nove carros de passageiros – que suportaram números ímpares de 1 a 17 – dois reboques e dois vagões de carga. São Carlos teve talvez a única eléctrico no Brasil, onde os mesmos carros foram operados pela mesma empresa ao longo da sua existência. A Companhia Paulista de Eletricidade – que tinha assinado o contrato exatamente 50 anos antes para o dia – correu o último bonde em São Carlos em 16 de junho de 1962.

Uma vista de cartão postal olhando para o oeste na Rua General Osório do canto de Av. São Carlos. Nota rampas íngremes e o tapume passando para os bondes. A julgar pelos automóveis, esta foto foi tirada aproximadamente 1940.

Uma vista de cartão postal olhando para o oeste na Rua General Osório do canto de Av. São Carlos. Nota rampas íngremes e o tapume passando para os bondes. A julgar pelos automóveis, esta foto foi tirada aproximadamente 1940.

Tram 7, ainda na sua condição de 1913, na estação "Companhia Paulista", em 1958. Este ponto de vista e as seguintes oito vistas nesta página foram tiradas por EUA fã de eléctrico William Janssen no sábado 28 de outubro de 1958.

Tram 7, ainda na sua condição de 1913, na estação “Companhia Paulista”, em 1958. Este ponto de vista e as seguintes oito vistas nesta página foram tiradas por EUA fã de eléctrico William Janssen no sábado 28 de outubro de 1958.

Abrir eléctrico 7 foi preservado pelo Rotary Club local e foi fotografado em um bilhete de loteria do estado em 1978. Foi bem exibidos por muitos anos em um abrigo na Piscina Municipal em frente a Praça dos Voluntários perto do centro da cidade [ver mapa]. Mas em 2010 ele foi transferido para a pequena praça na Vila Nery, onde rota 3 carros tinha terminado anos antes. Em 2006 um outro eléctrico São Carlos, número 3, foi encontrado – na condição magnífica – em uma fazenda perto de Santa Eudóxia! Uma pergunta como muitos moradores de São Carlos têm queria preservar essas memórias maravilhosas do passado. . .

Tram 11 passa Praça Antônio Prado, em frente à estação Paulista. Como a maioria dos bondes que o Sr. Janssen viu em São Carlos em 1958, este teve suas plataformas fechado. O eléctrico número 17 passa no fundo. [William Janssen]

Tram 11 passa Praça Antônio Prado, em frente à estação Paulista. Como a maioria dos bondes que o Sr. Janssen viu em São Carlos em 1958, este teve suas plataformas fechado. O eléctrico número 17 passa no fundo. [William Janssen]

Tram 5 em um local não identificado, provavelmente, uma das ruas laterais perto da estação ferroviária. [William Janssen]

Tram 5 em um local não identificado, provavelmente, uma das ruas laterais perto da estação ferroviária. [William Janssen]

Dois bondes passam sobre a linha Vila Nery. A vista é para o oeste na Rua 7 de Setembro, na intersecção da Rua Dona Alexandrina. Tram 7 em primeiro plano é de entrada, transformando o sul. [William Janssen]

Dois bondes passam sobre a linha Vila Nery. A vista é para o oeste na Rua 7 de Setembro, na intersecção da Rua Dona Alexandrina. Tram 7 em primeiro plano é de entrada, transformando o sul. [William Janssen]

sc10

Mesmo lugar, como na fotografia anterior, mas olhando para o leste. O bonde de entrada na distância está transformando o sul para a Rua Dona Alexandrina. [William Janssen]

Eléctrico 11 no laço na extremidade da linha Vila Nery. Este foi o único circuito no sistema eléctrico; na outra terminais invertidas extremidades dos carros. [William Janssen]

Eléctrico 11 no laço na extremidade da linha Vila Nery. Este foi o único circuito no sistema eléctrico; na outra terminais invertidas extremidades dos carros. [William Janssen]

Tram 3 da Santa Casa terminal [ver mapa]. As cruzes vermelhas no fundo identificar os edifícios hospitalares. ver também fotos 13 e 23. [William Janssen]

Tram 3 da Santa Casa terminal [ver mapa]. As cruzes vermelhas no fundo identificar os edifícios hospitalares. ver também fotos 13 e 23. [William Janssen]

Tram 3 dirigiram para o leste na Rua General Osório, a oeste da linha férrea. Um trem elétrico da Estrada de Ferro Paulista acaba de deixar a estação, com destino a Araraquara. As árvores visíveis acima do trem estão na Praça Antônio Prado. [William Janssen]

Tram 3 dirigiram para o leste na Rua General Osório, a oeste da linha férrea. Um trem elétrico da Estrada de Ferro Paulista acaba de deixar a estação, com destino a Araraquara. As árvores visíveis acima do trem estão na Praça Antônio Prado. [William Janssen]

Ponto de vista oposto, olhando para o oeste na General Osório. A estação Paulista está fora da vista do lado esquerdo. Observe a falta de fio sobre a linha de eléctrico na seção onde cruza acompanha o Paulista: ver texto principal. [William Janssen]

Ponto de vista oposto, olhando para o oeste na General Osório. A estação Paulista está fora da vista do lado esquerdo. Observe a falta de fio sobre a linha de eléctrico na seção onde cruza acompanha o Paulista: ver texto principal. [William Janssen]

Após o tramway São Carlos encerrou em 1962, carro 7, ainda em sua condição original 1913, foi preservada na Vila Nery depósito. Esta foto foi tirada em 1963. [Raymond DeGroote]

Após o tramway São Carlos encerrou em 1962, carro 7, ainda em sua condição original 1913, foi preservada na Vila Nery depósito. Esta foto foi tirada em 1963. [Raymond DeGroote]

Também no depot em 1963 foram automóveis de passageiros 5 e "Carne Verde" (carne fresca) do carro 19. Nota do Brill caminhão modelo 21E. [Raymond DeGroote]

Também no depot em 1963 foram automóveis de passageiros 5 e “Carne Verde” (carne fresca) do carro 19. Nota do Brill caminhão modelo 21E. [Raymond DeGroote]

Em 1964 eléctrico 7 foi restaurado e colocado em um abrigo na Praça dos Voluntários perto do centro da cidade. Eu tomei esta imagem em 1981. [AM]

Em 1964 eléctrico 7 foi restaurado e colocado em um abrigo na Praça dos Voluntários perto do centro da cidade. Eu tomei esta imagem em 1981. [AM]

Meu 1981 close up de bonde 7, com duas indicações: "Meio Século de Serviço da Comunidade" (meio século de serviço à comunidade) e "Eu sou o bonde da saudade" (Eu sou o bonde de nostalgia). [AM]

Meu 1981 close up de bonde 7, com duas indicações: “Meio Século de Serviço da Comunidade” (meio século de serviço à comunidade) e “Eu sou o bonde da saudade” (Eu sou o bonde de nostalgia). [AM]

Tram 7 na Praça dos Voluntários em 2003. O Rotary Club São Carlos tem mantido o carro neste parque por 40 anos - quase tanto tempo quanto ele correu em São Carlos ruas! [Antonio Gorni]

Tram 7 na Praça dos Voluntários em 2003. O Rotary Club São Carlos tem mantido o carro neste parque por 40 anos – quase tanto tempo quanto ele correu em São Carlos ruas! [Antonio Gorni]

Close up em 2003. O carro perdeu seus slogans, mas é mantido em boas condições e ainda está assinado "3 - Vila Nery". entusiastas de bondes belgas e historiadores viajar para São Carlos para ver este veículo, pois é o único de seu tipo no mundo. [Antonio Gorni]

Close up em 2003. O carro perdeu seus slogans, mas é mantido em boas condições e ainda está assinado “3 – Vila Nery”. entusiastas de bondes belgas e historiadores viajar para São Carlos para ver este veículo, pois é o único de seu tipo no mundo. [Antonio Gorni]

Outro ponto de vista de eléctrico 7 no parque. Estas fotografias foram tiradas 2003 em junho, quando as árvores floridas estavam em flor. [Antonio Gorni]

Outro ponto de vista de eléctrico 7 no parque. Estas fotografias foram tiradas 2003 em junho, quando as árvores floridas estavam em flor. [Antonio Gorni]

A cena dentro, Junho de 2003. [Antonio Gorni]

A cena dentro, Junho de 2003. [Antonio Gorni]

A fotografia mais recente de São Carlos eléctrico 7, tomada em 13 de agosto de 2006. [Antonio Gorni]

A fotografia mais recente de São Carlos eléctrico 7,
tomada em 13 de agosto de 2006. [Antonio Gorni]

Carro 7 fotografado em setembro de 2010, na sua nova localização no antigo terminal de eléctricos em Vila Nery. [Vadim Harlamov]

Carro 7 fotografado em setembro de 2010, na sua nova localização no antigo terminal de eléctricos em Vila Nery. [Vadim Harlamov]

Os rumores haviam circulado por anos que um outro eléctrico haviam sido preservados, e foi finalmente encontrado em uma fazenda próxima em 22 de março de 2006, quando esta foto foi tirada. Tram 3 também é mostrado nas fotos 12 e 13 acima. [Ayrton Camargo e Silva]

Os rumores haviam circulado por anos que um outro eléctrico haviam sido preservados, e foi finalmente encontrado em uma fazenda próxima em 22 de março de 2006, quando esta foto foi tirada. Tram 3 também é mostrado nas fotos 12 e 13 acima. [Ayrton Camargo e Silva]

GRATIDÃO

O autor está em dívida com ex-morador de São Carlos Antônio Gorni e seu filho, Antonio Gorni, para a extraordinária informação que forneceu sobre os bondes daquela cidade – e sua ajuda na identificação dos locais onde as fotos deste site foram tiradas. [O nome do pai é brasileiro e recebe um acento; o nome do filho é italiano, então não. . .] O autor também gostaria de expressar sua gratidão a outro residente São Carlos, Carlos Eduardo Guimarães, por sua ajuda na determinação da localização do depósito de eléctrico – na Rua Padre Teixeira perto da Rua Campos Sales.

Bibliografia (em ordem de publicação)

Brasil. Instituto Brasileira de Geografia e Estatística. Anuário Estatístico do Brasil. Meios de Transporte: Ferro Carris, 1912-1958. Surveys desde os primeiros anos Nota Apenas capitais de estados, mas os dados para o tramway São Carlos são apresentados entre 1942 e 1951: 9 carros de passageiros motor, 2 carros fuga de passageiros, um frete carro de motor, um reboque de carga, 12 km de pista, 87 colaboradores , 1,970,000 passageiros transportados em 1942, 4.061.000 realizada em 1951.

São Paulo (estado). Repartição de Estatística. Anuário Estatístico de São Paulo, 1913-1921. São Paulo, 1915-1926. A seção “Viação Urbana” em vol. 2 a cada ano apresenta dados básicos para vias férreas. A edição de 1921 regista 8 veículos de passageiros e 9 vagões de carga em São Carlos.

Estados Unidos. Bureau of Foreign & Domestic Commerce. Pesquisa Mundial das Ferrovias Exteriores. Washington, 1933. “São Carlos Tramways (Companhia Paulista de Electricidade)” entrada, p. 191, nota 8 carros de passageiros motor, 4 carros fuga de passageiros, 2 automóveis de carga e 2 carros trilha frete em 15 km de trilhos bitola métrica.

Octavio C. Damiano. Notícia Histórica Sobre os Bondes de São Carlos. São Carlos, 4 de Novembro de 1954 (Aniversário da Cidade). Apesar da data de título e publicação, o texto de 24 páginas está preocupado exclusivamente com a fundação da empresa e a inauguração do tramway em 1914. Não há discussão sobre o desenvolvimento tramway após essa data.

Enciclopédia dos Municípios Brasileiros. 36 vols., Rio de Janeiro, 1957. São Carlos capítulo na p. 168 em vol. XXX descreve brevemente o tramway, observa três rotas.

Raymond DeGroote, Jr. “São Carlos, Brasil: Companhia Paulista de Eletricidade, Pista Observado 18 de abril de 1963.” mapa inédito mostra detalhe da faixa na parte central da cidade.

Brasil. Instituto Brasileira de Geografia e Estatística. “São Carlos” mapa topográfico de 1971, mostra ruas, ferrovias, rios, elevações e contorno geral da cidade.

Waldemar Corrêa Stiel. História dos Transportes Coletivos em São Paulo. São Paulo, 1978. A São Carlos capítulo, pp. 297-300, descreve o desenvolvimento eléctrico e inclui duas fotos de carro número fechado 9. Itinerários de bonde rotas São Carlos, p. 229.

Waldemar Corrêa Stiel. História do Transporte Urbano no Brasil. Brasília, 1984. São Carlos capítulo, pp. 428-432. Um breve resumo histórico inclui duas ilustrações Franco-Belge dos modelos de carga e uma vista parcial da “Carne Verde” carro número 19 em operação em São Carlos.

Allen Morrison. O Tramways do Brasil: Um exame de 130 anos. Nova York, 1989. Meu São Carlos capítulo, pp. 154-157, consiste no texto na parte superior desta página web, um mapa e sete imagens do sistema de bondes São Carlos. Uma fotografia em p. 158 no capítulo Piraju que se segue mostra Piraju bonde aberto 9, que, alegadamente, foi reconstruída e tornou-se fechado eléctrico 9 em São Carlos.

—————————————————–

Fonte de todas as informações aqui retransmitidas:  http://www.tramz.com/br/sc/sc.html

Recomendo que, para maiores informações acessem o site acima citado e vejam também o conteúdo original desse lindo trabalho.

Att.

Gustavo Francisco Bodas Simões
logo_asimoes2

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *